INSTRUÇÃO CVM 558/15

ANEXO 15 – II FORMULÁRIO DE REFERENCIA

Dispõe sobre o exercício profissional de administração de carteiras de valores mobiliários.

Politícas e documentos de apoio:

Politica de Responsabilidade Socioambiental

1 - Introdução

Entende-se como responsabilidade socioambiental, no âmbito da Magliano SA CCVM, o processo contínuo de:

  • Respeito e proteção aos direitos humanos por meio da promoção de diversidade, inclusão financeira e do combate ao trabalho infantil e análogo ao escravo, ao proveito criminoso da prostituição e à exploração sexual de menores;
  • Postura ética e transparente, adotando práticas justas de operação e disponibilizando informações tempestivas, acessíveis e adequadas ás especificidades das Partes interessadas;
  • Gerenciamento do risco socioambiental identificado como componente das diversas modalidades de risco a que estamos expostos;
  • Desenvolvimento contínuo do relacionamento com suas Partes Interessadas; e
  • Uso racional dos recursos naturais, conservação da biodiversidade e mitigação das mudanças climáticas;

Na responsabilidade socioambiental, a instituição mantém uma postura proativa, buscando uma performance sustentável gerando valor compartilhado para colaboradores, clientes e sociedade, independente do baixo grau de exposição ao risco socioambiental das atividades e das operações.

Esta política tem o objetivo de descrever as principais diretrizes dentro da proporcionalidade das ações de natureza socioambiental nos negócios e na relação com as partes interessadas da Magliano Corretora.

2- Estrutura Organizacional e Responsabilidades

A estrutura é composta por dois níveis hierárquicos, com diferentes atribuições e responsabilidades:

  • Diretor Responsável pelo cumprimento do PRSA (Resolução 4.327 – BACEN)
    • Rever e avaliar a PRSA a cada cinco anos;
    • Estabelecer princípios e diretrizes que norteiam as ações de natureza socioambiental;
    • Estabelecer princípios e diretrizes sobre ações estratégicas relacionadas ao gerenciamento do risco socioambiental;

Conforme ata de 29/07/2015 registra a designação e aprovação do seguinte Diretor:

    • Sr. Raymundo Magliano Neto, como responsável pelo cumprimento das normas estabelecidas na Resolução N°4.327, de 25 de Abril de 2014, para Política de Responsabilidade Socioambiental.
Edição Emissão Última Revisão Próxima Revisão Aprovação Página
Julho/2015 Janeiro/2017 Janeiro/2018 Diretoria/Compliance 1 / 5

  • Departamento de Compliance, Riscos e Diretor de Operações
    • Implementar as ações no âmbito da PRSA, a partir das diretrizes definidas pelo Diretor de PRSA;
    • Elaborar e divulgar periodicamente para o todas as parte interessadas os relatórios gerenciais relativos à PRSA;
    • Identificar e avaliar os riscos relevantes incorridos, cobertos ou não pelo PRSA
    • Monitorar o cumprimento das ações estabelecidas na PRSA. Efetuar os testes de estresse de risco de mercado e, considerando-os em conjunto com os testes de estresse de risco de crédito elaborados pelos departamentos de crédito e de crédito consignado, identificar os impactos no capital;
    • Verificar adequação do gerenciamento do risco socioambiental estabelecido na PRSA.
    • Manter atualizada a documentação dos procedimentos, a qual fica disponível para verificação pelo BACEN;
    • Acompanhar a publicação de normativos legais, identificando previamente as necessidades de adequação nos procedimentos, garantindo o cumprimento das normas do BACEN no âmbito da PRSA.
2. Estratégia de Responsabilidade Socioambiental

Nossa gestão de responsabilidade socioambiental é orientada por três focos:

  • Riscos e Oportunidades Socioambientais

Buscar oportunidades de negócios e gerir riscos socioambientas considerando tendências de mercado

  • Educação Financeira

Edição Emissão Última Revisão Próxima Revisão Aprovação Página
Julho/2015 Janeiro/2017 Janeiro/2018 Diretoria/Compliance 2 / 5

Estender as necessidades das pessoas para oferecer conhecimento e soluções financeiras adequadas, contribuindo para que indivíduos e empresa tenham uma ralação saudável com o dinheiro.

  • Diálogo e transparência

Construir relações de confiança e perenes para melhorar nossos negócios e gerar valor compartilhado.

3. Diretrizes
  • Quanto a Gestão do Princípios e Diretrizes desta Política
    • Monitorar os riscos socioambientais de acordo com esta política e com as políticas relacionadas, que descrevem os procedimentos específicos a serem adotados;
    • Incorporar continuamente os princípios desta política aos processos de gestão da organização e as políticas relacionadas;
      Promover melhorias por meio de diálogo com as partes interessadas;
    • Incorporar os compromissos voluntários e questões prioritárias dos índices de sustentabilidade à gestão;
    • Manter tratamento diferenciado conforme o potencial de risco socioambiental;
    • Comunicar informação pertinentes as usas Parte Interessadas de forma clara e transparente;
    • Estimular o uso consciente dos serviços financeiros;
    • Incorporar critérios de sustentabilidade e responsabilidade socioambiental na gestão e decisão de investimentos em companhias em que a Magliano detenha direitos de sócio e controle operacional efetivo ou controle societário;
    • Registrar dados referentes as perdas efetivas que decorram de processos judiciais ou administrativos contra si, em função de questões socioambientais;
    • Observar as diretrizes e políticas corporativas de prevenção à lavagem de dinheiro e combate a corrupção.
  • Quanto a inclusão financeira
    • Trabalhar a inclusão financeira por meio de promoção de ações de educação financeira; eOferta de produtos e serviços inclusivos adequados ao perfil dos clientes e usuários.
  • Quanto aos produtos e serviços
      • Promover a criação, gestão e comunicação dos produtos e serviços considerando o perfil do público alvo e as demandas de mercado;
    Edição Emissão Última Revisão Próxima Revisão Aprovação Página
    Julho/2015 Janeiro/2017 Janeiro/2018 Diretoria/Compliance 3 / 5
    • Incorporar sistematicamente os conceitos de sustentabilidade, inclusive sob a ótica de impactos socioambientais e relacionados ás mudanças climáticas, na criação, no desenvolvimento e na comercialização de novos produtos e serviços.
  • Quanto ao risco socioambiental
    • Fazer a gestão de risco socioambiental na Organização de forma integrada com as outras modalidades de risco, controlando a exposição aos riscos relevantes;
    • Tratar de forma diferenciada, com mecanismos e critérios específicos de avaliação de risco;
    • Operações relacionadas ás atividades com maior potencial de causar dano socioambiental.
4. Diretrizes para Partes Interessadas
  • Cliente e Usuários
    • Atender aos clientes, considerando as necessidades e características dos diversos perfis;
    • Disponibilizar aos clientes e usuários atendimento abrangente, dotada de estrutura tecnológica, profissional e de segurança eficientes;
    • Fomentar canais de comunicação que promovam a transparência e a qualidade no atendimento, promovendo a satisfação e fidelização dos clientes;
    • Proporcionar acessibilidade, física ou digital aos clientes e demais usuários.
  • Capital Humano
    • Promover o respeito aos direitos humanos, a sua diversidade e a sua dignidade, reservando a individualidade e a privacidade, não admitindo a prática de atos discriminatórios e de assédio, de qualquer natureza, no ambiente de trabalho e em todas as relações, com o publico interno e externo;
    • Promover ações de treinamento e sensibilização relacionadas a sustentabiliadde, de maneira a incentivar sua abordagem em todos os níveis da Organização e disponibilizando- as para as partes interessadas.
  • Fornecedores
    Edição Emissão Última Revisão Próxima Revisão Aprovação Página
    Julho/2015 Janeiro/2017 Janeiro/2018 Diretoria/Compliance 4 / 5
    • Incorporar sistematicamente os conceitos de sustentabilidade, inclusive sob a ótica de riscos e oportunidades socioambientais, na gestão de fornecedores de produtos e serviços.

  • Sociedade

  • Fortalecer o relacionamento da organização com os principais representantes da sociedade civil, comunidades locais, governos, instituições de ensino, entre outras, propiciando o dialogo e o desenvolvimento das comunidades locais nas quais estamos inseridos.

Procedimentos para atuação de Agentes Autônomos de Investimento

A Magliano Corretora, nos termos da Instrução CVM nº. 497/11, aplica um conjunto de regras, procedimento e controles internos com a finalidade de:

  1. estender aos agentes autônomos de investimento por ela contratados, diretamente ou por meio de pessoa jurídica, a aplicação das regras, procedimentos e controles internos por ela adotados;
  2. fiscalizar as atividades dos agentes autônomos de investimento que atuam em seu nome de modo a garantir o cumprimento do disposto da Instrução e das regras e procedimentos estabelecidos nos termos do inciso I, sendo no mínimo:
    a) o acompanhamento das operações dos clientes, inclusive com a realização de contatos periódicos;
    b) o acompanhamento das operações de titularidade dos próprios agentes autônomos de investimento, aos quais são aplicados as mesmas regras e procedimentos aplicáveis às pessoas vinculadas, na forma da regulamentação em vigor; e
    c) a verificação de dados de sistemas que permitam identificar a proveniência de ordens emitidas por meio eletrônico, indícios de utilização irregular de formas de acesso e administração irregular das carteiras dos clientes.
  3. comunicar à CVM, à entidade credenciadora e às entidades autorreguladoras competentes, tão logo tenha conhecimento, condutas dos agentes autônomos de investimento por ela contratados que possam configurar indício de infração às normas emitidas pela CVM;
  4. comunicar às entidades credenciadoras e às entidades autorreguladoras competentes, tão logo tenha conhecimento, condutas dos agentes autônomos de investimento por ela contratados que possam configurar indício de infração ao código de conduta profissional ou a outras normas ou regulamentos por elas emitidos;
  5. dar às entidades credenciadoras acesso às suas instalações, arquivos e documentos relativos às regras, procedimentos e controles internos relacionados ao cumprimento das normas que lhes incumbe fiscalizar, para que elas possam exercer as funções fiscalizadoras atribuídas por esta Instrução; e
  6. divulgar o conjunto de regras decorrentes do inciso I, bem como suas atualizações, em sua página na rede mundial de computadores. Responsável pela implementação e cumprimento dos incisos I a VI do art. 17 da Instrução CVM 497, de 3 de junho de 2011.


Raymundo Magliano Filho Diretor Responsável .
Tel.: 55 11 3123 0855
E-mail: raymundo@magliano.com.br

Indicadores de Operações

Período de Referência: Março/2018

I) Relação entre quantidade de negócios de pessoas vinculadas e quantidade total de negócios do Participante, por mercado;

BOVESPA

Negócios Participante Mercado Negócios de Vinculados % de Negócios de Vinculados
979 OPC 124 12,67%
9501 VIS 107 1,13%
1048 - 231 -
TOTAL 2,20%

BM&F

Negócios Participante Mercado Negócios de Vinculados % de Negócios de Vinculados
110 FUT 0 0,00%
110 - 0 -
TOTAL 0,00%

II) Relação entre quantidade de negócios de pessoas vinculadas, exceto carteira própria, e quantidade total de negócios do Participante, por mercado;

BOVESPA

Negócios Participante Mercado Negócios de Vinculados % de Negócios de Vinculados
979 OPC 124 12,67%
9501 VIS 107 1,13%
10480 - 231 -
TOTAL 4,46%

BM&F

Negócios Participante Mercado Negócios de Vinculados % de Negócios de Vinculados
110 FUT 0 0,00%
110 - 0 -
TOTAL 0,00%

III)Relação entre quantidade de negócios de carteira própria e quantidade total de negócios do Participante, por mercado;

BOVESPA

Negócios Participante Mercado Negócios de Vinculados % de Negócios de Vinculados
979 OPC 0 0,00%
9501 VIS 0 0,00%
10480 - 0 -
TOTAL 0,00%

BM&F

Negócios Participante Mercado Negócios de Vinculados % de Negócios de Vinculados
110 FUT 0 0,00%
110 - 0 -
TOTAL 0,00%

IV)Relação entre quantidade de negócios de pessoas vinculadas cujas contrapartes sejam clientes do Participante e quantidade total de negócios de pessoas vinculadas;

BOVESPA

Negócios Participante Mercado Negócios de Vinculados % de Negócios de Vinculados
0 OPC 124 0,00%
0 VIS 107 0,00%
0 - 231 -
TOTAL 0,00%

BM&F

Negócios Participante Mercado Negócios de Vinculados % de Negócios de Vinculados
110 FUT 0 0,00%
110 - 0 -
TOTAL 0,00%